15 agosto 2017

Resenha | Esposa até Segunda - Catherine Bybee


Livro: Esposa até Segunda
Série: Noivas da Semana # 2
#1 Casada até Quarta
Gênero: Romance
Autora: Catherine Bybee
Editora: Verus
Páginas: 252
Ano: 2017
Resenha:
Eliza Havens era funcionária da agência de casamentos Alliance. Mas então a dona da agência, Samantha Elliot acabou se casando com Blake Harrison, um milionário que precisava urgente de uma esposa para receber uma herança e os dois acabaram perdidamente apaixonados no processo, e então Sam promoveu Eliza a sócia da agência. Mas como o primeiro casamento do casal foi as pressas e não contou com a presença de nenhum familiar, Blake prometeu que casaria com Sam novamente todo ano e cada vez o casamento seria em um estado diferente. Eliza até achou que Blake estava brincando, mas ele falava sério e dessa vez a festa será no Texas com tudo organizado por Gwen, irmã de Blake que veio da Inglaterra especialmente para isso. Mas Eliza como madrinha da noiva, também está envolvida em todos os detalhes.

A festa será o lugar ideal para Eliza promover a agência, já que o Texas é conhecido pelos homens ricos e as mulheres refinadas que podem ser futuros clientes da agência. Quem também espera fazer negócios na festa é Carter Billings, melhor amigo e padrinho de Blake, que pretende concorrer a vaga de governador do estado da Califórnia. Carter e Eliza não conseguem conversar sem que a conversa termine numa discussão. Mas ao mesmo tempo a tensão sexual entre eles é palpável, só não aconteceu nada ainda entre eles porque nenhum dos dois quer perder a amizade de Blake e Sam, o que fatalmente aconteceria se eles tivessem alguma coisa e depois acabassem brigados. Mas isso não impede Carter de ir atrás de Eliza em uma bar quando fica sabendo que ela e Gwen vão sair para se divertir antes do casamento. E ele arrasta Neil, o segurança de Blake com ele.

E é claro que as coisas dão errado. Gwen, que sempre foi protegida por sua família, é bem inocente em relação a alguns assuntos e quando eles percebem Carter está trocando socos com um morador local. O escândalo vai parar em todos os jornais, inclusive os de Londres. E para não perder as chances de se eleger, só resta uma alternativa a Carter, suas chances melhorariam muito se ele se tornar um homem casado. E ele tem certeza de que Eliza é a candidata perfeita para o papel. O que ninguém sabe é que Eliza esconde um passado que infelizmente volta para assombrá-la quando sua foto sai nos jornais. E o casamento entre eles que seria a solução ideal para Carter, é a pior coisa que pode acontecer para Eliza, que tem que ficar o mais longe possível da mídia. Mas Carter não vai desistir tão fácil, ainda mais que o casamento pode ser a maneira mais fácil dele proteger Eliza.

Segundo livro da série Noivas da Semana e eu que já tinha gostado muito do primeiro, acabei surpreendida por esse que é ainda melhor. Não sei o porque, mas vi algumas pessoas comparando essa série com a série da Garota do Calendário. De parecido só temos a mesma editora. O resto não tem nada a ver. Então se você assim como eu não gostou da outra série e está com receio de ler essa por causa disso, fiquei tranquilo, é tudo completamente diferente. Não vou dizer que, nossa, é um livro que vai te emocionar, com uma história que você vai levar para a vida toda, porque não é. Mas se você procura algo para ler depois de um livro mais pesado, esse livro é o ideal. Você vai encontrar um romance leve, sem muitas reviravoltas, bem clichê na verdade, mas que é um ótimo divertimento, sem falar nessas capas que são maravilhosas.

Geralmente nesse tipo de série, os livros são bem parecidos, mas como disse antes, me surpreendi, porque já no segundo a coisa mudou totalmente e a autora misturou um suspense ao romance clichê, o que deu um gás na história. Acho que grande parte da história puxou mais para o policial do que para o romance mesmo. E outra coisa que gostei foi que a narrativa em terceira pessoa não ficou só nos dois protagonistas, mas passou por boa parte dos personagens. Carter e Eliza já são conhecidos do primeiro livro e eu já sabia que a química entre o casal seria boa. Gostei bastante da história entre eles. E além deles temos o casal do primeiro livro Sam e Blake, sem falar nos próximos protagonistas, Neil e Gwen. Dentro da proposta apresentada pela autora, eu não tenho nada do que reclamar, por isso dei nota máxima ao livro. E indico para quem quer um livro lindo por fora, com uma boa história por dentro.

Nota:






13 agosto 2017

Especial | Dias dos pais


Pai é aquele homem que desde quando fica sabendo que vai ter um filho, já fica preocupado com o futuro da criança. O que ela vai comer, vestir, escola, emprego, e além de tudo... Deve pensar "Agora vou ter que trabalhar muito mais"
Quando somos crianças, olhamos para ele como se fosse o nosso super herói. O Super homem, Batman, homem aranha? Que nada! Nós temos o Super Pai.
Daí então crescemos, e paramos de enxergar os seus super poderes e vemos que nosso herói pode sangrar. Então é hora de vê-lo como "vilão"
Chega um período que queremos mostrar que sabemos muito mais que ele. E que ele tá velho e desatualizado...
A sorte é que somos pessoas mutáveis e percebemos que na verdade nós somos iguais, e que temos muito a ensinar um para o outro.
Outro dia você percebe que o olhar que ele te lança é de admiração e que agora você é o super herói dele.
Porém, o tempo muitas vezes é cruel e não nos permite aproveitar maiores momentos juntos...
Ou então, tudo isso poderia ter sido vivido se ele tivesse optado em estar presente
Mas quem sabe, você viveu e vive momentos incríveis com alguém que foi emprestado e hoje é todo seu.
Ser pai é muito além.
Não é a mesma coisa que ser mãe... Mas o amor é tão intenso e verdadeiro como.
Agradecemos a Deus por nossos pais.
Aprendemos muito com eles e hoje continuam sendo nosso super herói sem capa e que sangra.
Desejamos a todos os pais
Pais estilos, clássicos, rabugentos, comediantes, gordinhos , magrinhos.
Pai de pessoas e de bichos, paidrastro, pai de todas as profissões...
A vocês nosso carinho e admiração.
Filhos, aproveitem o dia ao lado desse herói.





11 agosto 2017

Tag | E os Bridgertons viveram felizes para sempre...


Ninguém me indicou para responder essa tag, mas eu vi ela no blog Balaio de Babados e como amo essa família, resolvi responder. A tag foi criada pelo blog Silêncio Contagiante.

“Os Bridgertons são, de longe, a família mais fértil da alta sociedade. Essa qualidade da viscondessa e do falecido visconde é admirável, embora se possa dizer que suas escolhas de nomes para os filhos sejam bastante infelizes. Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. É claro que a organização é sempre algo benéfico, mas seria de esperar que pais inteligentes fossem capazes de manter os filhos na linha sem precisar escolher seus nomes em ordem alfabética.”
CRÔNICAS DA SOCIEDADE DE LADY WHISTLEDOWN,
26 DE ABRIL DE 1813

1. Essa é difícil: quem é seu Bridgerton favorito?
Apesar de ter me decepcionado com a história dele, não tem como escolher outra pessoa aqui. Eu vivia para ver suas aparições nos livros dos outros. Sem dúvida é o Colin.

2. Mergulhei nas páginas: qual é seu livro favorito?
Eu amo releituras e Cinderela é meu conto de fadas favorito. Por isso esse é o meu queridinho da série: Um Perfeito Cavalheiro

3. Feitos um para o outro: quem merece o título de casal perfeito?
Anthony e Kate se completam de uma forma que não tem como colocar outro casal aqui.

4. Me abana: quem é seu protagonista masculino predileto?
Como já coloquei o Colin como personagem favorito, vou escolher outro aqui: o Duque de Hastings, Simon.

5. Estilo mulher maravilha: que é sua protagonista feminina predileta?
Aqui fiquei em dúvida entre várias personagens, mas vou escolher ela que sempre foi o arrimo da família e que era a pessoa que todos corriam para resolver seus problemas: Violet.


6. Roubou a cena: quem é seu coadjuvante predileto?
Acho que todo mundo que respondeu essa tag colocou ela aqui. Mas não tem como escolher outra pessoa. Apesar de não ser uma Bridgerton, ela foi um dos meus personagens favoritos de toda a série: Lady Danbury.

7. Sai daqui: quem é o pior personagem na sua opinião?
Aqui também vou ser repetitiva porque não consigo pensar em mais ninguém para esse posto visto que gostei de todo mundo: a madrasta má Araminta.

8. Melhor cenário: qual lugar que você adoraria conhecer?
Eu ficaria feliz em estar em qualquer um dos bailes oferecidos pela Violet.

9. Final perfeito: quem teve o melhor e viveram felizes para sempre?
Foi muito bom rever todos os personagens nesse livro, mas na minha opinião quem teve o melhor feliz para sempre foi a Francesca. E nada mais justo já que a história dela e o personagem em si foi o mais apagado de todos os livros.





09 agosto 2017

Resenha | Segredos - Rodrigo Picon


Livro: Segredos
Série: O Mundo dos Fragmentos Fractais
Gênero: Fantasia, Aventura
Autor: Rodrigo Picon
Páginas: 226
Ano: 2017
Sinopse:
Richard, Kai e Bárbara são pacatos estudantes de Direito da Universidade de Cárs, a maior do país. Em uma noite qualquer, o grupo conhece Sarah, uma bela garota que rapidamente mexe com Richard e o remete diretamente ao seu sombrio passado, embora não saiba o porquê. Depois, descobrem a existência de um estranho e maligno ritual chamado “Ritual das Mil Almas”, que pretende reviver um antigo ser diabólico para ter em suas mãos o poder de controlar o tempo. E, por algum motivo, Sarah é o cerne principal do ritual.
“Segredos” é o primeiro livro da trilogia “O Mundo dos Fragmentos Fractais”, uma aventura inigualável, onde os heróis deverão atravessar o espaço-tempo fragmentado em pequenos pedaços, enquanto conhecemos culturas diferenciadas, tempos diferentes, monstros inimagináveis e magias poderosas.
Resenha:
Uma profecia encontrada em antigas runas em um deserto ao sul, diz que o mundo viverá um período de dois mil anos de intensa calma, quando a humanidade alcançará seu ápice se instalando nos quatro cantos do planeta. É quando os servos do Desgraçado, o Caído, realizarão um sacrifício da Carne e outro da Alma e a coleta de mil corpos, e o fim se estabelecerá por essas terras. E no instante em que o Ritual for concluído, Céu, Terra e Inferno se unirão. É quando o Desgraçado assumira o poder e todos sucumbirão. E o mundo vai entrar em sua Terceira Era, desértica e inóspita por mil anos.

Estamos em 2048 e vamos conhecer Genrai, um senhor que aparenta ter uns setenta anos e Ammy, uma jovem de uns vinte anos. Eles conversam sobre Richard e demonstram sua preocupação em relação ao que vem pela frente, já que a Profecia está para ser concluída. Eles dizem que Richard não pode falhar. Como "protetor" ele tem que ter coragem para fazer o que vai ser preciso. E Genrai pede que Ammy proteja Richard de qualquer mal que ele vier a sofrer. Ammy promete fazer tudo o que estiver a seu alcance para proteger Richard.

Richard é um estudante de direito na Universidade de Cárs, a maior universidade de Player Rom. Mas ele é também o Magatacchi do estilo Kotä-shu de Shekan em seu próprio dojo. O Shekan é um estilo de luta onde se une as artes marciais com o kenjutsu, a luta de espadas. E por isso ele está sempre sendo hostilizado por Kai, um aluno da mesma sala que ele. Kai não admite que Richard seja mais forte que ele e chega a desafiar Richard para uma luta, que ele perde em segundos. Quem também estuda com Richard, é Bárbara, e ela está sempre perto de Richard, se preocupando com ele.

Um dia Richard está caminhando pela cidade com David, segundo no comando do dojo, e eles encontram Bárbara e começam a conversar até que escutam gritos vindo mais a frente da viela onde se encontram. Eles correm até o local e encontram Kai que também está por perto e descobrem que um homem com uma motosserra acabou de partir uma garota ao meio. Mas os gritos continuam porque o assassino ainda está perseguindo outra garota.  É assim que eles conhecem Sarah, a outra garota, e Katsuhiro, irmão da garota que morreu. O assassino consegue fugir, mas depois volta e luta com Richard e acaba morto. 

No dia seguinte o grupo volta a se encontrar na faculdade onde Sarah vai para agradecer Richard. Mas a má sorte parece seguir Sarah porque um grupo de atiradores invade o local matando todo mundo que eles veem pela frente. Eles conseguem reagir e descobrem que os atiradores estão ali por causa de Sarah. Eles querem a garota para concluir o Ritual das mil almas. Sarah é a peça chave para a conclusão do Ritual. Agora cabe a Richard e seus amigos impedir que o Ritual seja concluído. 

Geralmente assim que termino de ler um livro, eu escrevo a resenha dele. Mas esse eu terminei tem um tempo já e demorei para resenhar porque não descobri ao certo se gostei do livro ou não. Sabe aquela famosa frase, "não é você, sou eu"? Bem, ela casa perfeitamente aqui porque acho que o problema aqui sou eu e não a história. Quando recebi um e-mail do autor e li a sinopse, achei a história bem interessante e meu primeiro problema com o livro já veio dai porque a sinopse não mostra bem o que na verdade é a história.

Quando li ritual maligno, achei que fosse ser um livro com uma pegada mais de suspense puxando para o terror, mas não foi nada disso. O livro é pura ação. Quem gosta de histórias assim, com muitas lutas, sem dar tempo para o leitor respirar, vai amar o livro. Enquanto lia a história, lembrei muito dos animes que assistia na minha adolescência. Tipo uma mistura de Sailor Moon e Cavaleiros do Zodíaco. Eles estavam lá no meio de uma luta entre a vida e morte e ainda tinham tempo para fazer alguma piada ou para ficar com ciúmes um do outro. Seja por o outro lutar melhor ou por estar se preocupando mais com a outra garota.

Se eu tivesse lido há uns 20 anos atrás, acho que teria amado porque amava esses animes que citei entre outros que me lembraram a história. Mas hoje eu ia lendo e tudo me parecia tão bobinho. Por isso digo que o problema foi comigo. Tenho certeza de que para o publico indicado, a história vai ser ótima. Mas ainda assim eu achei interessante. o autor escreve muito bem, a leitura flui e nem percebemos o tempo passar e o livro termina com um ótimo gancho para o próximo da trilogia. Então indico para um publico mais jovem, ou até mesmo para você que ainda gosta desse tipo de história. Não é porque não funcionou comigo que não vai ser ótima para você.

Para quem quiser conferir, o livro está no Wattpad, mas não sei até quando. E quem quiser adquirir, vou deixar o link de venda abaixo.

Wattpad  -  Comprar






07 agosto 2017

Lançamentos | Novo Conceito

Autora: Christina Rickardsson
Título: Nunca Deixe de Acreditar
ISBN: 9788581638607
Selo: Novas Ideias
Ano: 2017
Edição: 1
Número de páginas: 256
Formato/Acabamento: 16x23x1,8
Preço Sugerido: R$ 44,90
Área Principal: Não ficção
Assuntos: Biografia
Eu nasci no Brasil e vivi em uma caverna até os meus cinco anos de idade. Mais tarde, minha mãe e eu nos mudamos para uma das inúmeras favelas da cidade de São Paulo. Aprendi desde cedo a não confiar na polícia e nem em outros adultos. Fui obrigada a cuidar de mim mesma e do meu irmãozinho antes de, finalmente, irmos parar em um orfanato. Um ano depois, quando eu tinha oito anos de idade, fui adotada por uma família sueca de Vindeln, em Västerbotten. Em Nunca deixe de acreditar, Christina conta a história de sua vida como menina de rua no Brasil, da fome que passou, de como foi maltratada e da separação de sua mãe biológica e de seu país. Além disso, conta como foi crescer na Suécia com todos os choques culturais com os quais se deparou assim que chegou à pequena cidade localizada na região de Norrland. A autora revela como conseguiu, já na idade adulta, superar os seus traumas de infância e reconstruir sua vida. Quando sente que necessita repor as forças e as energias, ela dispõe de um truque muito especial: salta de paraquedas de um avião, praticando a queda livre durante sessenta segundos, até que o paraquedas se abra. Saber cair em pé é útil em todas as ocasiões! Aumentar a consciência e a compreensão das diferenças, dos preconceitos e do choque cultural é um dos objetivos da jornada de Christina e, ao fazê-la, construir pontes para criar diálogo, tolerância e abertura na sociedade. Esta é uma comovente história sobre amor, tristeza, amizade e perdas. Christina fala de sobrevivência, de como dois mundos totalmente diferentes contribuíram para a sua formação e de como lutou para unir as duas pessoas que tinha dentro de si mesma.

Autora: J. Lynn
Título: Fique Comigo
ISBN: 9788581638584
Selo: Novo Conceito
Ano: 2017
Edição: 1ª Edição
Número de páginas: 384
Formato/Acabamento: 16x23x1,8
Preço Sugerido: R$ 39,90
Área Principal: Romance
Assuntos: Soft porn
Jase e Teresa foram destinados a ficar juntos ou a vida os levará a caminhos diferentes?
Teresa Hamilton está tendo um ano difícil - ela está apaixonada pelo melhor amigo de seu irmão, mas ele simplesmente a ignora desde que se beijaram, um beijo verdadeiramente incrível e inspirador. Ela saiu de um relacionamento terrível, e agora uma lesão ameaça terminar sua carreira de bailarina. É hora do Plano B: faculdade. E talvez uma chance de convencer Jase de que o que eles sentem um pelo outro é real.
Jase Winstead guarda um segredo do passado - além da paixão que sente pela linda irmã de seu melhor amigo. Embora ele e Teresa tenham uma atração forte, Jase sabe que suas responsabilidades devem ser prioridade. Certamente não tem tempo para um relacionamento. Entretanto, tudo o que ele consegue pensar é em estar com a única garota que poderia arruinar tudo para ele.
Depois de uma tragédia no campus da faculdade, eles se aproximam mais e mais. É impossível continuar negando seus sentimentos. Jase e Teresa devem decidir o que eles estão dispostos a arriscar para estar juntos e o que estão dispostos a perder se não estiverem...

Esses são os próximos lançamentos da Novo Conceito. Se interessaram por algum? Eu quero muito ler Fique Comigo, porque a autora me fisgou no primeiro livro da série.




06 agosto 2017

Resenha | Entre o Amor e a Vingança - Sarah MacLean


Livro: Entre o Amor e a Vingança
Série: O Clube dos Canalhas # 1
Gênero: Romance de época
Autora: Sarah MacLean
Editora: Gutenberg
Paginas: 304
Ano: 2015

Resenha:
Quando o marquês de Bourne faleceu, deixou seu único filho aos cuidados do visconde de Langford, seu vizinho e amigo. Mas em vez de instruir e guiar Michael Bourne, que aos vinte e um anos era jovem demais para assumir suas responsabilidades, o que ele fez foi trair a confiança do velho marquês e tirou tudo que Bourne possuía em uma mesa de jogo. A Bourne só restou o título e a propriedade ligada a ele, mas nenhum tostão para cuidar dela e nenhuma terra para conseguir alguma renda. Mas antes de sair da sala de jogos onde perdeu tudo, Bourne jurou vingança. Hoje com trinta e um anos ele deixou de ser aquele garoto ingênuo que acreditava em tudo e se tornou um homem determinado e implacável nos negócios e até mesmo frio e cruel na vida. Ele é sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, a Anjo Caído e ganha a vida fazendo com os outros exatamente o que fizeram com ele.

Nesses anos ele conseguiu juntar uma fortuna considerável, mas não suas terras de volta. E olha que ele tentou de todos os jeitos, mas Langford se recusa a negociá-las. Porém agora ele tem a chance de conseguir sua herança de volta já que Langford ironicamente perdeu suas terras no jogo para o marquês de Needham e Dolby e o marquês vinculou as terras ao dote de sua filha mais velha Lady Penélope Marbury. Então tudo o que ele tem que fazer para ter suas terras de volta, é se casar com Penélope. E Bourne não tem escrúpulos, e vai fazer o que tiver de ser feito para conseguir sua vingança. Até se casar com a garota que um dia ela achou que fosse sua amiga, isso antes de descobrir que amigos não existem. Mas ele está curioso do porque Penélope ainda continua solteira, já que além de ter uma reputação impecável, ela é a filha mais velha de um marquês que tem mais dinheiro do que conseguiria gastar na vida inteira.

Penélope Marbury tem vinte e oito anos e já é considerada uma solteirona para desgosto de sua mãe. Ainda mais que ela teve a chance de ser uma duquesa, já que estava noiva do duque de Leighton, mas depois do escândalo envolvendo a irmã do duque, o noivado foi desfeito e também, ela descobriu que o duque estava apaixonado por outra. E por esse mesmo motivo ela continua solteira até hoje, oito anos depois, já que ela decidiu que só se casaria com alguém que olhasse para ela como o duque olhava para sua duquesa. Mas não foi fácil passar por esse escândalo de ser "deixada no altar", e até hoje sua irmãs estão à sombra do ocorrido. Mas com o acréscimo das terras ao dote de Penélope, as propostas de casamento voltam a acontecer e Bourne não vai deixar ninguém passar na frente dele e arruma um jeito de se casar com Penélope. E ele não fica satisfeito só de conseguir suas terras de volta, ele quer acabar com Langford. O problema é que Penélope vai ficar bem no meio de sua vingança e por mais que ele queira ser o mais implacável possível, ele começa a sentir coisas por ela que pode acabar com todos os seus planos.

"Você quer mais a sua vingança."
"Quero as duas coisas. Quero tudo."
"Ah, Michael, quem foi que lhe disse que podia ter tudo?"

Quando comecei a ler esse livro já sabia que a série Os números do amor foi escrita antes dessa, até por isso esperei para ler. O que eu não sabia era que a história se passava no mesmo lugar que a da outra série, dez anos depois, e que ia contar a história da garota que foi deixada no altar pelo duque de Leighton, do terceiro livro da série Os números do amor. E aqui estou eu apaixonada por mais uma série de romance de época e ainda bem que já tenho todos aqui na estante, porque eu preciso ler os outros livros, que vai contar cada um a história de um dos sócios do clube Anjo Caído. Então teremos mais três livros pela frente e já estou louca para ler cada um deles porque temos a participação dos outros protagonistas nesse livro e já fiquei querendo saber mais sobre eles. Todos eles chamaram a minha atenção nas poucas vezes que apareceram na história..

O livro segue o mesmo padrão dos romances do gênero, por isso você basicamente já sabe o que vai acontecer na história e como ela vai terminar, o que no meu caso, não importa muito. Mas como sempre digo nas resenhas sobre os romances de época, cabe a cada autor dar o seu toque especial na história e a Sarah sabe fazer isso muito bem. Os diálogos entre os protagonistas são perfeitos e dá até vontade de estar lá assistindo tudo de camarote para ver quem vai ganhar a discussão. Eu fiquei tão maravilhada que nem sabia mais para quem eu estava torcendo. E as protagonistas fortes já são uma marca registrada da autora. Penélope, que antes de começar a ler me parecia ser mais uma mocinha "perfeita", se mostrou mais forte e obstinada que muitos homens por ai. E Bourne foi o perfeito canalha o livro inteiro. E isso foi uma coisa que me agradou porque geralmente os protagonistas masculinos são sempre apresentados como libertinos e canalhas e não são nada daquilo. Mas Bourne faz jus ao título.


Eu amei a leitura e indico o livro para todos os amantes do gênero e para quem ainda não leu e quer se aventurar. E amei também a edição da editora Gutenberg, que até então eu só havia lido romance de época da editora Arqueiro e sempre achei um luxo as edições, com capas maravilhosas. Mas devo confessar que preferi esse um tantinho mais. A capa nem tenho o que falar porque acho que já falei por aqui que tenho um fraco por capas com vestidos. E por dentro amei o capricho nos detalhes, principalmente na parte onde ficam os números das páginas. Românticas de plantão como eu amam esses detalhes hehe. E tem mais uma coisa, eu não gosto muito de aspas no lugar de travessões nas falas. Mas estava tão envolvida na beleza do livro e da história que só fui reparar nisso lá pela metade do livro. Enfim, leiam, e aguardem a resenha do segundo livro que logo vai vir por ai.

Nota:






04 agosto 2017

Resenha | Provence - O lugar onde se curam corações partidos - Bridget Asher


Livro: Provence - O lugar onde se curam corações partidos
Série: Não
Gênero: Romance, Drama
Autora: Bridget Asher
Editora: Novo Conceito
Páginas: 368
Ano: 2017

Resenha:
Todo verão, Heidi e sua irmã Elysius viajavam com sua mãe para a casa delas em Provence, na França. E toda noite antes delas dormirem, sua mãe contava as histórias de amor que aconteceram na casa. Eram histórias tão incríveis que até pareciam fantasiosas e algumas até milagrosas. Mas as garotas acreditavam em tudo. Até o verão em que Heidi completou treze anos e ela começou a perceber as lacunas nas histórias e questionou sua mãe. Mas foi no verão seguinte que Heidi realmente deixou de acreditar no amor. Sua mãe, depois de descobrir que o pai delas estava tendo um caso, foi para Provence sozinha. E elas não sabem o que se passou por lá, mas ela voltou diferente. Uma das coisas em que sua mãe mudou, foi que ela passou a querer fazer todos os tipos de sobremesa. E do mesmo jeito que começou a fazer as sobremesas, ela parou.

Mas enquanto cozinhava com sua mãe, Heidi se apaixonou e resolveu que era aquilo que ela ia fazer, assim surgiu a Loja de Bolos. E foi através da confeitaria que ela conheceu Henri, o homem que fez ela acreditar novamente no amor. Henri era sua metade. Um completava o outro. Ela não sabia fazer mais nada sem ele. E foi por isso que ela ficou tão devastada quando ele morreu em um acidente de carro. Era Henri que guiava sua vida e quando Heidi o perdeu, ela perdeu tudo junto com ele. Heidi parou no tempo, mas as outras pessoas continuam vivendo e estão sempre perguntando como ela está e nunca acreditam em sua resposta de que está tudo bem. Mas não é só Heidi que ficou sem chão. Abbot, seu filho de oito anos começou a ter um comportamento estranho em relação a limpeza. Ele está sempre esfregando as mãos como se estivesse lavando elas, mesmo longe da água. E quando percebe que Heidi está fingindo uma felicidade que não sente, as coisas pioram.

Heidi recusa todos os convites que recebe, mas sua irmã Elysius está se casando depois de oito anos morando junto e ela não consegue achar uma desculpa para não comparecer. Quando chega ao local do casamento ela encontra sua mãe chorando porque aconteceu um incêndio na casa de Provence. E no dia seguinte ela pede que Heidi vá até Provence para ver como a casa ficou e para acompanhar a restauração da casa. Heidi se recusa a ir, mas sua mãe e Elysius tem certeza de que passar o verão em Provence é tudo que Heidi precisa para curar seu coração, afinal já faz dois anos que Henri se foi e Heidi ainda não voltou a viver. E como Elysius vai estar em lua de mel ela sugere que Heidi leve Charlotte, sua enteada de dezesseis anos com ela para ajudar a cuidar de Abbot. Três pessoas com problemas diferentes, mas que precisam urgente de ajuda. Será que realmente acontecem milagres em Provence e eles irão voltar de lá curados?

"E então minha mãe nos disse que a casa era capaz de fazer com que o amor se manifestasse. Ela era capaz de realizar milagres."

Eu gosto de ler quase todos os gêneros literários, mas um bom romance continua sendo o gênero que sempre recorro quando quero "sentir". Nada como uma boa história de amor para deixar o coração da gente mais quentinho. E essa é a palavra para definir esse livro: amor. E não estou falando apenas de amor entre um homem e uma mulher. Nesse livro temos o amor em várias formas. Conhecemos o amor que arrebata e o casal se torna uma só carne e quando uma das partes é arrancada a outra perde a direção. Também conhecemos o amor de uma mãe que abre mão de sua própria felicidade pela felicidade da filha e o de um filho que faz o que pode para sua mãe "voar" novamente. E tem também o amor de alguém que acaba de descobrir que pode amar tanto uma pessoa que ainda nem nasceu.

Quando vi o título do livro fiquei receosa de que a história fosse ser mais do mesmo, parecida com tantas outras que temos por ai onde temos um homem e uma mulher que se curam nos braços um dos outro. mas não foi o que encontrei, ainda bem. Aqui temos pessoas sendo curadas sim, mas não necessariamente nos braços de outra pessoa, e sim no interior de cada uma delas. É incrível acompanhar a história de cada personagem e ver a mudança acontecendo dentro deles. E não sei se foi a casa ou não, o certo é que a casa de Provence tem uma certa magia sim. E acredito que existem lugares assim no mundo, onde a paz e o amor é palpável.

É impossível não se sensibilizar com o drama de Heidi e de Abbot. Imagino como eles devem ter ficado após perder o farol de suas vidas. Henri está morto, mas é um personagem constante na história, por isso deu para conhecer ele bem e ver como ele era uma pessoa especial. E além da história deles ainda tem o mistério envolvendo o verão que a mãe de Heidi passou em Provence e que só vamos descobrir no fim do livro. E tem também a história de Charlotte, uma adolescente desajustada cujos pais não sabem lidar com ela. Não vou dizer muito mais porque quero que vocês leiam e se deliciem com essa linda história de amor. Quanto a edição, a capa está incrível e a diagramação como sempre nos altos padrões da editora. Recomendo com certeza.

Nota:






02 agosto 2017

Resumo Literário e Cinéfilo de Julho/2017

Férias = delícia

Olívia


{Filmes e Séries}





Silvana



{Filmes e Séries}

Minhas notas são as estrelas fora da foto


{Livros}





31 julho 2017

#4 | Eu Quero!

Chegou a hora de mostrar os lançamentos de julho que mais me interessei.

Ao descobrir que o conde de Swartingham visita um bordel para atender suas “necessidades masculinas”, Anna Wren decide satisfazer seus desejos femininos... com o conde como seu amante
Chega uma hora na vida de uma dama...
Anna Wren está tendo um dia difícil. Depois de quase ser atropelada por um cavaleiro arrogante, ela volta para casa e descobre que as finanças da família, que não iam bem desde a morte do marido, estão em situação difícil.
Em que ela deve fazer o inimaginável...
O conde de Swartingham não sabe o que fazer depois que dois secretários vão embora na calada da noite. Edward de Raaf precisa de alguém que consiga lidar com seu mau humor e comportamento rude.
E encontrar um emprego.
Quando Anna começa a trabalhar para o conde, parece que ambos resolveram seus problemas. Então ela descobre que ele planeja visitar o mais famoso bordel em Londres para atender a suas necessidades “masculinas”. Ora! Anna fica furiosa — e decide satisfazer seus desejos femininos… com o conde como seu desavisado amante.

Eu adoro romances de época e essa edição parece estar um luxo, por isso não podia faltar na minha lista. E achei interessante ele ter sido publicado pela primeira vez em 1970. 

O terceiro livro da série Noivas da semana. Gwen Harrison: a bela filha de um duque inglês se mudou para os Estados Unidos para cuidar da agência de casamentos de sua cunhada. Só porque ela agora é a chefe da agência, não significa que não possa fantasiar um encontro perfeito com o enigmático Neil MacBain, o guarda-costas que vem tornando seus sonhos um tanto quanto agitados. Mas negócios são negócios, e é melhor Gwen não se deixar envolver. Neil MacBain: o ex-fuzileiro naval não pode negar o efeito da aristocrata Gwen em sua alma atormentada e seu corpo esculpido pela rotina militar. Mas ela é cliente dele, e manter distância é fundamental — até uma ameaça do passado de Neil retornar e Gwen se ver no meio do fogo cruzado. Agora depende de Neil decidir o que é mais importante salvar: sua carreira, sua vida... ou a mulher que conquistou seu coração.

Já esse é o terceiro livro dessa série que me pegou pelas capas incríveis. Ainda não li o segundo, mas já quero esse também.

Malikah conheceu muito cedo toda a crueldade de que o ser humano é capaz. Escravizada e trazida ainda criança da África ao Brasil, sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho do dono da fazenda onde trabalhava. Mesmo sendo resultado de uma relação de amor, estar grávida de um de seus senhores era uma afronta aos homens da casa-grande, por isso Malikah foi duramente castigada e quase morta.
Malikah e seu bebê, Hasan, só conseguiram escapar com a ajuda de Cécile e Fernão, que lhes deram abrigo na Quinta Dona Regina, um lugar novo onde todos, brancos e negros, poderiam viver em liberdade. Porém, mesmo com a relutância de Malikah, Henrique continua por perto, arrependido por não ter protegido sua amada e tentando se aproximar de Hasan.
Mas como um homem que foi ensinado a cometer tantas atrocidades poderá dar a uma criança o amor incondicional? Apesar de Malikah ainda sentir algo por ele, é possível perdoar alguém que representa para ela tantos anos de injustiça e sofrimento?

Esse eu quero exclusivamente por causa da autora. Eu amo os livros da Marina e achei essa sinopse muito interessante.

Esta edição de luxo tem uma seleção imperdível com três das melhores histórias de Agatha Christie, a eterna Rainha do Crime. O leitor encontra aqui reunidos alguns dos casos mais famosos da inesquecível Miss Jane Marple, do casal Tommy e Tuppence Beresford e do novato Charles Hayward. Em tramas engenhosamente traçadas para nos despistar a todo o momento, nossos astutos investigadores apontarão os culpados em meio a espetaculares reviravoltas, atestando a genialidade e o sucesso dessa autora que se tornou um clássico da literatura de mistério. Agatha Christie é, e sempre será, a inspiração máxima para todos os autores do gênero. A casa torta - Primeiro a guerra faz com que Charles Hayward adie seu pedido de casamento. Alguns anos depois, ele se vê obrigado a adiar o próprio matrimônio em razão de um mistério -- Sophia Leonides, sua noiva, acaba de perder o avô Aristide de forma súbita e um tanto suspeita. Teria sido um assassinato? O escândalo poderia arruinar o nome da família. Instruído pelo pai e pelo inspetor-chefe Taverner - ambos da Scotland Yard -, Charles decide se hospedar na residência dos Leonides (a Casa Torta) para descobrir se, entre aqueles familiares tão únicos e motivados a matar seu patriarca, não estaria a prova do crime capaz de colocar o culpado atrás das grades. Porém, uma nova reviravolta promete avalar todas as certezas sobre o assunto. Um pressentimento funesto - Ao fazerem uma visita à tia de idade já vem avançada no asilo de Sunny Ridge, Tommy e Tuppence Beresford abrem os caminhos para um novo mistério envolvendo o desaparecimento de uma das hópedes -- a amada e um tanto confusa sra. Lanccaster, que indagou antes de morrer: "Desculpe, mas a coitadinha era sua filha?". Assassinato na casa do pastor - Na pacata aldeia de St. Mary Mead, é muito fácil vasculhar a história de algum de seus habitantes: basta perguntar a uma das respeitáveis senhoras que ali vivem, em particular uma conhecida como Miss Marple. Jane Marple faz aqui sua primeira aparição nos romances de Agatha Christie, atuando de forma inteiramente amadora (e infalível) nas investigações dos crimes com os quais se depara. Seu primeiro "caso" envolve a morte do coronel Protheroe, tão odiado na aldeia que Miss Marple não consegue apontar um, mas, sim, sete suspeitos do crime, todos com suas devidas motivações para se livrarem do velhaco. Mas quem realmente teria assassinado o terrível coronel?

E claro que não podia faltar a minha autora favorita nessa lista. Quase surtei quando vi que mais dois box seriam lançados. Mesmo já tendo lido os três livros, vou querer para minha coleção.

Esta edição de luxo tem uma seleção imperdível com três das melhores histórias de Agatha Christie, a eterna Rainha do Crime. O leitor encontra aqui reunidos alguns dos casos mais famosos do detetive belga Hercule Poirot, incluindo o seu último e derradeiro... quando as cortinas do espetáculo se fecham de forma dramática! Em tramas engenhosamente traçadas para nos despistar a todo o momento, nosso astuto investigador apontará os culpados em meio a espetaculares reviravoltas, atestando a genialidade e o sucesso dessa autora que se tornou um clássico da literatura de mistério. Agatha Christie é, e sempre será, a inspiração máxima para todos os autores do gênero. Poirot perde uma cliente - Se a morte de Emily Arundell não surpreendeu ninguém -- afinal, já era uma mulher bem idosa e sua saúde não era das melhores --, o mesmo não se podia dizer de seu testamento. Após sobreviver ao que acreditava ser uma tentativa de assassinato, a srta. Arundell alterou os beneficiários da herança e escreveu para Hercule Poirot em busca de auxílio e proteção. Quando a carta enfim chega às mãos do detetive belga, já é tarde demais. Agora, caberá a Poirot e a seu fiel companheiro Hastings determinar se os incidentes não passaram de infelizes eventos isolados ou se, na verdade, faziam parte de um mesmo plano sinistro. A extravagância do morto - A pedido da escritora e amiga Ariadne Oliver, Hercule Poirot viaja às pressas até a Mansão Nasse, no condado de Devon. Acontece que Ariadne foi contratada para planejar uma brincadeira em que os convidados da festa precisam identificar o assassino em meio a pistas e suspeitos fictícios, mas ela sente que algo ruim está para ocorrer. Como se alguém estivesse se aproveitando da ocasião para executar um assassinato de verdade. A ideia é que Poirot aja depressa e em sigilo para descobrir todo o esquema e evitar o pior. Cai o pano - Este romance nos transporta mais uma vez à Mansão Styles -- palco do primeiríssimo romance policial de Agatha Christie. Pois é chegado o momento de contar o último caso de Hercule Poirot, o famoso detetive belga. E que melhor forma de encerrar uma grande saga do que retornar às suas origens? Desta vez, cinco casos antigos, sem aparente relação entre si, intrigam Poirot. Havia certezas demais e pouca reflexão envolvendo os motivos e os culpados dos crimes. Além disso, um novo suspeito, X., poderia estar relacionado de diferentes formas a cada um dos incidentes. E o sujeito se encontra hospedado bem ali, em Styles, acima de qualquer suspeita e pronto para atacar novamente. Conseguirão Poirot e Hastings apanhá-lo antes que as cortinas do espetáculo se fechem? Esta edição conta com a tradução de uma das maiores damas da nossa literatura, Clarice Lispector, resultando num trabalho primoroso e irretocável.

E aqui mais livrinhos do meu querido Poirot. Assim que der vou comprar. E tomara que a editora lance todos eles para eu completar minha coleção.

E vocês, se interessaram por algum desses? Quais foram seus desejados no mês de julho?




29 julho 2017

Resenha | Filha da Profecia - Juliet Marillier


Livro: Filha da Profecia
Série: Coleção Sevenwaters #3
#1 Filha da Floresta
#2 Filho das Sombras
Gênero: Fantasia, Fábulas
Autora: Juliet Marillier
Editora: Butterfly Editora
Páginas: 640
Ano: 2014

Resenha:
Fainne foi criada sozinha por seu pai Ciarán desde a morte de sua mãe Niamh. Eles vivem em Kerry, um vilarejo litorâneo, que por ser afastado de tudo, é perfeito para pessoas como eles, descendentes de feiticeiros. Fainne passa os dias aprendendo tudo que seu pai lhe ensina e desenvolvendo suas habilidades. Por isso ela não tem muitos amigos. Na verdade ela tem só um, Darragh, que chega na região todo verão junto de uma caravana de viajantes. Fainne sempre soube que por serem diferentes ela nunca seria como as outras garotas, mas nem por isso ela deixa de desejar a liberdade que ela observa nas meninas da caravana. Não que ela não seja livre, seu pai nunca a proibiu de sair, até porque ela não iria muito longe com a deficiência em seu pé. Ele até incentiva Fainne a ter suas próprias regras. O problema está em ser uma categoria intermediária entre os humanos e o Outro Mundo. Não fazer parte de nenhum lugar.

Desde muito pequena Fainne foi instruída pelo seu pai na magia. Apesar de ser filho de uma grande feiticeira, ele aprendeu magia com os sábios druidas da floresta. E sempre ensinou Fainne a tomar muito cuidado com a magia para não acabar como sua avó, que ultrapassou todos os limites ao despertar a magia negra. Mas até seus quatorze anos ela desconhecia sua própria história. Mas então seu pai decide que está na hora de Fainne conhecer Sevenwaters e enfim conta como ele e sua mãe se conheceram. Só então Fainne descobre que o casamento de seus pais foi proibido por ele ser meio irmão da mãe de Niamh e também filho da mulher responsável pela maior desgraça que aconteceu em Sevenwaters. Mas antes de ir para Sevenwaters ela vai ter um período de aprendizado com sua avó, Lady Oonagh, que vai ensinar a Fainne o que seu pai não conseguiu.

O que Ciáran nem imaginava era que Lady Oonagh tinha seus próprios planos. Ela quer vingança contra seus antigos inimigos de Sevenwaters e quer a todo custo impedir que Sean e seus aliados reconquistem as Ilhas Sagradas, conquistadas há gerações pelo povo de Northwoods. E ela vai usar Fainne como arma de vingança. Seu treinamento com Fainne é severo, e diferente de Ciarán, ela usa a magia para punir Fainne quando esta não faz sua vontade. Ainda assim Fainne se recusa a participar dessa vingança. É então que Lady Oonagh ameaça matar Ciarán se Fainne não fazer o que ela quer. Fainne não tem alternativa a não ser fazer o que sua avó deseja. Assim ela parte para Sevenwaters para conhecer a família de sua mãe, que tanto desgosto deu aos seus pais. O que ela não esperava era ser tão bem acolhida, principalmente por Connor, que foi quem mais dor causou a seu pai. Agora ela não sabe se segue seu coração ou se faz a vontade de sua avó e salva seu pai. 

"Agora que o momento de partir chegava, eu nem conseguia falar. A tarefa que eu tinha a cumprir era tão dificil que eu nem queria pensar. Mudar o curso de uma longa batalha. Vencer os Seres da Floresta em um jogo que eles praticavam desde antes deste mundo existir. Eu teria que terminar a tarefa que minha avó havia começado e fazer isso a qualquer preço para retribuir a papai todos os longos anos de paciência e de conhecimento que ele havia me transmitido."

Mais um livro dessa série que me conquistou pela capa maravilhosa e me ganhou de vez quando comecei a ler e conheci e escrita maravilhosa da autora e seus personagens incríveis, principalmente as mulheres poderosas. Novamente temos uma protagonista feminina inesquecível, que rouba a cena, e que sem ela a história não seria nem vinte por cento do que foi. No terceiro livro já temos a terceira geração de Sevenwater cuja história começou baseada em um conto, mas que cresceu tanto que acabou por se tornar uma das melhores sagas de fantasia que já li na minha vida. Cada livro conta a história de uma das gerações e temos um espaço grande de tempo entre uma história e outra. E mesmo as histórias tendo começo, meio e fim, é ideal que as leituras sejam feitas na ordem porque os livros se complementam e a história do povo dá continuidade.

Quando pego um dos livros dessa série para ler eu sempre lembro daquela imagem do iceberg que fica só uma pontinha para fora do mar e onde não conseguimos ver tem uma monstruosidade de gelo. Essa história é assim. Quado começa é só aquele pontinho e quando percebemos tem tanta história que mesmo os livros tendo em média 600 páginas, ainda é pouco para contar essa história tão grandiosa. E mesmo com esse tanto de páginas, em nenhum momento ela se torna cansativa, as autora sabe dosar os diálogos com as partes mais descritivas e as partes mais introspectivas. E temos de tudo um pouco na história, desde romance, aventura, cultura celta e até algumas paginas onde a guerra que vem sendo anunciada desde o primeiro livro enfim acontece.


Quando li Filha da Floresta e conheci Sorcha, me encantei com sua força e determinação e achei que fosse dificil encontrar um personagem tão marcante quanto ela. Mas então li Filho das Sombras e conheci Liadam que herdou toda a força de sua mãe e ainda conseguiu superá-la em várias coisas, como na coragem para enfrentar os Seres da Floresta. Então veio Filha da Profecia e conheci Fainne, que diferente das outras protagonistas foi criada fora de Sevenwaters e ainda carregava o estigma de ser descendente de feiticeiros. Ela começou de mansinho e foi me ganhando ao longo da história e quando enfim tudo foi revelado me peguei com o rosto molhado de lagrimas por ter tido a oportunidade de conhecer uma história tão linda quanto a dela. Se Sorcha e Liadam eram sinônimos de força, Fainne é de superação. É tão bom ler um livro que o personagem cresce tanto que se torna parte essencial de uma história que no caso nem deveria ser sua. E nem vou falar dos outros personagens para essa resenha não ficar enorme, mas todos eles me cativaram.

Mas infelizmente teve uma coisa que me incomodou muito nesse livro. O título é um grande de um spoiler. A Butterfly está entre meu top 5 de editoras favoritas, seja pelas edições maravilhosas como pelas histórias incríveis. Mas infelizmente o grande ápice da história não teve tanta graça assim porque o grande mistério a ser revelado, já está explicito no título do livro. O título original é Child of the Prophecy, que se tivesse sido traduzido como criança e não como filha, teria permanecido o mistério para ser revelado na hora certa. Como foi traduzido diferente, eu já sabia o que ia acontecer antes mesmo de tudo ser encaminhado para aquilo. Mas ainda assim, é apenas um detalhe que não tirou a beleza da história. E falando em beleza, a edição está tão perfeita quanto as outras. Eu recomendo o livro de olhos fechados. Essa série é uma das melhores que já li na minha vida e olha que já foram mais de 2.000 livros lidos só que tenho anotado. Leiam, vocês não irão se arrepender.

Nota:






28 julho 2017

#70 | A Estante Aumentou

Esse mês comprei poucos livros, mas chegou alguns de parceria e que ganhei em sorteios, por isso de novo a estante aumentou. Mas como doei alguns livros, consegui um espacinho para os novos moradores hehe.

Esses três chegaram de parceria com a Novo Conceito. A capa de Caraval é linda, com o simbolo azul brilhante e o resto em alto relevo. 


Da Butterfly chegou o terceiro livro da série Sevenwaters. A edição está tão linda quanto as outras.


Esses dois eu comprei. Esposa até Segunda veio esses marcadores fofos junto. E Cartas para uma falsa dama eu comprei porque gostei bastante da novidade da editora em publicar os romances do tamanho padrão dos outros livros, mas desanimei um pouco para ler porque li umas resenhas bem negativas dele.


Esses dois eu ganhei. Crave a marca ganhei em uma sorteio no blog Mademoiselle Loves Books. O outro livro ganhei de aniversário atrasado.


Esses dois eu comprei com vales presente que ganhei respondendo pesquisas. São dois livros que estavam na minha lista de desejados.


Esses marcadores recebi em parceria com o autor L. F. Farias. Já resenhei o livro dele aqui.


Esses mimos lindos recebi de parceria com a autora Kami Girão. Também já tem resenha do livro aqui.


E por ultimo, mas não menos importante, recebi essa cartinha linda da parceira Bianca Gulim. Ela fez uma surpresa linda encomendando esses marcadores personalizados do blog. Muito obrigada Bianca. também tem resenha do livro dela aqui.


E vocês receberam muita coisa esse mês?




25 julho 2017

Resenha | Horror na Colina de Darrington - Marcus Barcelos


Livro: Horror na Colina de Darrington
Série: ?
Gênero: Terror, Suspense
Autor: Marcus Barcelos
Editora: Faro Editorial
Páginas: 144
Ano: 2016
Sinopse:
Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.
No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.
Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente…
Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade.
Onde termina o inferno e começa a realidade?

Resenha:
Geralmente costumo escrever as resenhas falando um pouco sobre o enredo do livro. Mas como essa sinopse resume bem do que se trata e não dá para falar muito mais que isso mesmo para não estragar a surpresa de quem vai ler o livro,  já que a história é toda suspense e mistérios, hoje vou só colocar a sinopse mesmo. O livro é narrado em primeira pessoa pelo olhos do nosso protagonista, o Ben. Como o livro alterna bastante entre presente, passado, passado mais passado ainda, eu achei ele um pouco confuso no começo e demorei para começar a entender certinho a história.

O grande diferencial desse livro é que ele é escrito na forma de filme, então você não apenas lê a história, mas também visualiza tudo como se estivesse assistindo as cenas mesmo. E tem até umas ilustrações bem legais para ajudar nessa questão. E já que falei das ilustrações, tenho que falar sobre essa edição, uma das mais bonitas que tenho na minha estante. Desde a capa, bem criativa com as grades do portão e o título em alto relevo, ao miolo que é na cor preta e na diagramação maravilhosa, esse livro dá gosto de pegar na mão e ficar admirando.


Eu estava louca para ler esse livro desde que li várias resenhas super positivas dele. Acho que já comentei aqui que sou fã de histórias de terror, mas acho bem dificil de encontrar um livro que realmente dê medo. Ou são livros que puxam para o lado psicológico ou para o lado de demônios, o que não gosto muito. E todas as ressenhas que li, prometiam que esse livro dava muito medo. Então imaginem a minha expectativa para ler ele. E mesmo assim comprei e demorei um tempão para começar a ler.

Logo no começo da história já tem uma cena de arrepiar, com o nosso protagonista vendo fantasmas na casa. Então já comecei gostando. Mas parou por ai. Infelizmente a história virou uma salada onde o autor não focou em apenas uma coisa sobrenatural, mas tem desde fantasmas, rituais satânicos, demônios, que já falei que não gosto, até a parte onde não se sabia se o que ele estava falando era realidade ou loucura da cabeça dele. E está ai um dos motivos do porque não gosto de livros em primeira pessoa. Terminei a história sem saber se o que ele contou aconteceu mesmo ou não. Ou então sou meio lerda para entender hehe.

Quanto ao protagonista, infelizmente não conseguiu me cativar. Mesmo sendo em primeira pessoa, não deu para saber muito sobre ele. Como disse, não entendi se o que aconteceu foi verdade mesmo ou não. E isso não é spolier porque logo no começo do livro sabemos que ele está internado em um sanatório. E chegou no final e também não entendi se vai ter uma continuação ou não. Infelizmente, o que o livro tem de bonito, tem de confuso. Ou como disse antes, pode ser que seja apenas comigo. mas como as notas que dou é baseado na minha opinião pessoal, a nota não foi muito alta. Enfim, leiam por sua conta e risco. Quem sabe você aprecie mais do que eu.

Nota:






24 julho 2017

Parceria | Rodrigo Picon

Tenho o prazer de anunciar mais uma parceria aqui no blog. Dessa vez é com o autor Rodrigo Picon. Logo tem resenha do seu mais novo lançamento. Vamos conhecê-lo?

O Autor:

Rodrigo Cesar Picon de Carvalho é advogado, escritor, poeta e contista. Desde criança, sempre inventou histórias e almejou ser escritor quando crescesse. Nasceu seu primeiro livro em 2011 e nunca mais parou. É autor do horrendo “O Massacre no Colégio Itahtari”, do assustador “O Menino e o Palhaço”, do livro de poesias “Um Olhar entre Dois Poetas”, onde escreveu junto de sua namorada, a poetista Carla Discila Detomi, da fantasia “Segredos” e de inúmeros contos de terror, espalhados internet fora, sua maior paixão. No campo do Direito, é autor dos livros “Código de Defesa do Consumidor Comentado”, “Direitos Difusos e Coletivos Comentado” e de artigos acadêmicos na área do Direito. Foi convidado para participar de um evento jurídico em Bari, na Itália, no ano de 2015.  Reside em São João del Rei com seus pais e irmão.

Sua Obra: 

Richard, Kai e Bárbara são pacatos estudantes de Direito da Universidade de Cárs, a maior do país. Em uma noite qualquer, o grupo conhece Sarah, uma bela garota que rapidamente mexe com Richard e o remete diretamente ao seu sombrio passado, embora não saiba o porquê. Depois, descobrem a existência de um estranho e maligno ritual chamado “Ritual das Mil Almas”, que pretende reviver um antigo ser diabólico para ter em suas mãos o poder de controlar o tempo. E, por algum motivo, Sarah é o cerne principal do ritual.
“Segredos” é o primeiro livro da trilogia “O Mundo dos Fragmentos Fractais”, uma aventura inigualável, onde os heróis deverão atravessar o espaço-tempo fragmentado em pequenos pedaços, enquanto conhecemos culturas diferenciadas, tempos diferentes, monstros inimagináveis e magias poderosas.


Saiba mais:

Página do autor no Facebook




21 julho 2017

Resenha | Escândalo de Cetim - Loretta Chase


Livro: Escândalo de Cetim
Série: As Modistas #2
#1 Sedução da Seda
Gênero: Romance de Época
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano:

Resenha:
As Irmãs Noirot são as proprietárias de um refinado ateliê em Londres, O Maison Noirot. Marcelline, a mais velha, é o cérebro criativo, é ela quem desenha e cria os vestidos. Leonie, a mais nova, é o gênio financeiro, é ela quem cuida das contas e Sophia, a irmã do meio, é quem convence as clientes a levar os modelos. Suas irmãs brincam com ela dizendo que Sophia venderia areia para um beduíno se quisesse. E além de vender as roupas, Sophia ainda é a encarregada de manter o nome do Maison longe dos escândalos, por isso ela trabalha como espiã para o editor do Spectacle, o principal jornal de escândalos de Londres. Mas manter o bom nome do ateliê está cada dia mais dificil depois do casamento repentino de sua irmã Marcelline com o Duque de Clevedon. Marcelline praticamente roubou o duque das mãos de Lady Clara Fairfax e a mãe de Clara, Lady Warford, virou inimiga mortal delas e por isso várias clientes já abandonaram o ateliê.

Mas Harry Fairfax, o conde de Longmore, sempre foi amigo de Clevedon e continua sendo mesmo após ele ter preferido se casar com Marcelline em vez de de casar com sua irmã Clara. Por isso ele se sente à vontade para falar com Clevedon sobre suas preocupações com Clara. Ela está cedendo a corte de Lorde Adderley, um vigarista caça-dotes. Então Clevedon sugere que ele fale com Sophia para que ela fique de olho em Lady Clara, já que Sophia é discreta e está sempre atenta a todos os detalhes nos salões de baile, vide seus excelentes textos no Spectacle. Ele precisa afastar qualquer devasso ou falido de Clara para que ela encontre alguém à altura de Clevedon, só assim sua mãe vai deixar a família deles em paz novamente. Mas quando encontra Sophia novamente, ele percebe que vai ser difícil ela ficar de olho em Clara, já que ela tem que se livrar de seu próprio séquito de devassos. E enquanto observa Sophia, ele não presta atenção em Clara, que acaba em uma situação que ele estava tentando evitar. 

Quando chega até a varanda, ele vê o que várias pessoas já viram, Adderley tentando arrumar o corpete de Clara. Ele não se conforma como sua irmã se deixou seduzir por um canalha como aquele e parte para cima de Adderley. Mas Clara entra em sua frente e ele não consegue desferir mais do que um soco. E antes que possa desafiar Adderley para um duelo, Sophia que estava observando tudo intervém, e faz com que ele veja a situação de uma outra maneira. Ela pede que Longmore não faça mais nada e promete que ela e suas irmãs vão dar um jeito de reverter essa situação, afinal Lady Clara é sua melhor cliente e se ela se casar com um falido como Adderley, elas vão perdê-la. Mas elas tem que pensar em alguma coisa bem rápido, porque Clara já aceitou o pedido de casamento de Adderley. E também a Sra. Downes, rival delas no negócio, voltou a ativa e se não agirem rápido, elas vão ter que decretar falência. Mas como pensar em uma solução, se só o que Sophia consegue pensar no momento é em Lorde Longmore?

"— Os negócios! Tudo tem a ver com a loja?
— Sim. O que quer dizer que eu não poderia estar falando mais sério. Se me beijar de novo, vou lhe enfiar uma faca. "

Ultimamente estou sem sorte para os romances de época. É o terceiro livro que leio que acabei não amando o protagonista. E olha que eu demorei bastante tempo para ler o segundo livro da série. Estou com ele aqui na estante desde dezembro e só agora que lançou o terceiro que resolvi pegar para ler. Mas ainda bem que demorei para ler, porque se tivesse lido logo em seguida do primeiro, a nota do livro seria bem menor, porque estaria com as expectativas lá nas alturas e acabaria me decepcionado muito. E mesmo lendo tanto tempo assim depois, ainda assim não pude deixar de comparar os dois livros e esse segundo deixou bastante à desejar. A autora inovou tanto ao colocar como protagonistas das histórias simples modistas em vez das ladys tão costumeiras no gênero. Mas acabou colocando como protagonista do segundo livro um homem machista ao extremo e que mesmo esbanjando charme ao longo da história, o machismo falava mais alto e acabei desgostando dele.

Isso sem falar em uma cena que o casal protagonista simplesmente esquece uma criança debaixo de um pé d'água. Achei uó. Mas ainda assim é uma boa história. Eu já tinha gostado da química entre o casal no livro anterior e lá já tinha ficado evidente que eles teriam uma história junto. E as cenas entre eles foram muito divertidas. Eu ri horrores dos planos mirabolantes deles para conseguir salvar a Lady Clara. Mas quando o assunto parte para o romance, ai entra o machismo e a coisa muda um pouco de figura. As cenas entre eles foram bem escritas, mas como eu já estava predisposta a achar tudo errado, cada frase que Harry falava, me deixava mais nervosa. Gostei de rever os personagens do primeiro livro e principalmente Clara, que de novo é o centro da história e se dá mal mais uma vez. Espero que ela consiga logo alguém que valha a pena hehe. Mas mesmo não tendo gostado muito, estou ansiosa pelo próximo livro, já que Leoni pouco aparece nos dois primeiros livros. Quanto a capa, a do primeiro livro ainda é minha favorita, mas essa também está maravilhosa.

Nota: 





© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo