21 maio 2018

Mystery box de fevereiro/março

O mês passado fiquei tão frustada com a caixinha que nem tirei foto para fazer a postagem. Só postei no Instagram mesmo. Mas esse mês em compensação as meninas arrasaram na caixa. Para quem não sabe estou falando da caixinha literária do Clube do Livros e Citações.

A do mês de março foi minha quinta caixinha. E fico variando entre as caixas, quando o tema me interessa muito compro a mais cara, quando o tema não chama muito a minha atenção compro a mais barata. Mas é uma loteria. Pode vir um livro maravilhoso como um que não tenho tanto interesse. Ou vir livro repetido, que foi o que aconteceu no mês de fevereiro.

Mas vamos ver o que veio.

Fevereiro

Como vocês viram na postagem da caixinha da Vitrine 42, veio o livro Gaiola Dourada e para minha insatisfação quando abri a caixa do L&C me deparo com o mesmo livro. E dos brindes veio um estojo de unicórnio, que não gosto e dei para a sobrinha de uma amiga e veio esse marcador do Chapeleiro que é até bonito, mas inútil para fazer o seu trabalho. Então já podem ver que odiei a caixinha. Ainda bem que comprei a mais barata e não pedi tanto dinheiro.




Março

Já a caixa de março eu amei, amei, amei. O tema era A Bela e a Fera e quando vi que vinha a cúpula com a rosa eu comprei a caixa mais cara para vir na minha hehe. E quando vi os livros também quase chorei de alegria.



Veio esses marcadores maravilhosos. Os de A Bela e a Fera foram meus favoritos. E veio um imã colecionável para ganhar brinde extra quando juntar seis.


Veio uma capa para almofada linda e esse cartão do tema.


E esses itens me ganharam. Veio um colar com pingente, veio o Cogsworth de biscuit e a rosa linda maravilhosa que já está enfeitando minha estante.


E os livros estavam os dois na minha lista de desejados. Essa edição da DarkSide está de arrasar.


Essas foram as caixinhas de fevereiro e março. A de abril já chegou também e logo mostro para vocês o que achei.





19 maio 2018

Resenha | Os Segredos dos Olhos de Lady Clare - Carol Townend


Livro: Os Segredos dos Olhos de Lady Clare
Série: Os Cavaleiros de Champagne #2
Gênero: Romance de época
Autora: Carol Townend
Editora: Harlequin Books
Páginas: 256
Ano: 2018

Resenha:
Clare sempre viveu uma vida cheia de percalços. Ela não lembra de sua infância, sua memória começa a partir do momento em que virou uma escrava nas mãos de Veronese. Ela até que estava conformada com seu destino, mas então o filho de Veronese começou a assediá-la e isso Clare não aguentou e fugiu de Apulia com a ajuda de um mercador chamado Paolo. Ela veio para Troyes porque ali o comercio de escravos é proibido. E deu a sorte de encontrar Geoffrey um cavaleiro de coração bom que a acolheu em troca de Clare fazer companhia para sua irmã Nell e sua mãe Nicola que está gravemente doente. E foi por causa da doença de Nicola que Geoffrey, necessitado de dinheiro, acabou se aliando a um bando de ladrões e quando tentou mudar de ideia acabou morto por eles.

Clare vive se escondendo com medo de ser descoberta, ainda mais que ela é ruiva e tem olhos bem incomuns, um verde e outro azul acinzentado, por isso é bem difícil de ela passar despercebida. Mas quando Nicola conta que recebeu um convite-moeda que dá direito a primeira fila na arquibancada do Torneio da Noite de Reis, do conde Lucien de d'Aveyron, suserano de Geoffrey, Clare não consegue dizer não para Nicola e acaba indo ao torneio com Nell. E lá ela reencontra Paolo, que diz que os traficantes de escravos estão em Troyes deixando Clare aflita. É no torneio também que ela conhece Sir Arthur Ferrer, capitão dos Cavaleiros Guardiões do conde Henry de Champagne, que ainda está a procura do bando de ladrões que Geoffrey acabou envolvido.

Assim que vê os olhos de Clare, Arthur lembra dos olhos incomuns do conde Myrrdin de Fontaine e acredita que a moça possa ser uma filha ilegitima do conde. Arthur fala sobre sua desconfiança com o conde Henry que diz para Arthur levar Clare até Myrrdin,  porque se Clare realmente for filha dele, o conde vai legitimá-la. Mas Arthur não encontra Clare, já que ela acabou de fugir da cidade depois de ver Veronese nas ruas de Troyes. Arthur vai atrás de Clare e quando a encontra conta suas suspeitas. Clare fica cheia de esperança e torce para que Arthur esteja certo. Então eles partem para Bretanha, o problema é que quanto mais perto do seu destino, mais Arthur lamenta entregar Clare para seu suposto pai, já que ele começa a ter sentimentos por Clare que não serão bem aceitos se ela for realmente uma lady, já que ele não tem um pingo de sangue nobre correndo em suas veias.

Eu recebi esse livro de parceria com a Harlequin e não sabia que ele fazia parte de uma série, Os Cavaleiros de Champagne, e esse é o segundo livro. Confesso que sou dessas que não gosta de ler séries fora de ordem, mesmo as histórias tendo começo, meio e fim como é o caso aqui. Mas agora já foi e assim que der vou ler o primeiro. E também depois que terminei fui ler a sinopse de Cartas para uma falsa dama que tenho aqui da autora e vi que ele também faz parte da série e vai contar a história da irmã de Clare. E já que estou falando da editora, mais uma vez tenho que elogiar a Harlequin porque tanto a capa, que pela primeira vez em um livro do gênero, a modelo tem as características físicas da personagem, como toda a edição está impecável.

A história se passa em 1174 e é a primeira que leio dessa época. Por isso estranhei um pouco algumas coisas, pois estou acostumada mais com os anos 1800 em diante. Mas infelizmente a vida das mulheres não eram mais fáceis nessa época, pelo contrário. Em contrapartida achei, pelo menos a nossa protagonista que não foi criada como uma dama, mais liberal na questão sexual do que as mulheres dos outros séculos. Já o que senti falta foi das mocinhas a frente do seu tempo, que já é caracteristica dos romances de época. Apesar das mulheres terem uma vida bem desigual, elas lutam para mudar isso e não abaixam a cabeça para concordar com o que elas acham que está errado. E essa foi uma das coisas que mais senti falta nesse romance e até por isso não dei nota máxima. 

Mas de forma geral eu gostei da história e dos personagens e gostei do tema levantado pela autora, o comércio de escravos, mesmo que ele tenha sido abordado de uma forma mais superficial. Clare é uma pessoa boa, e uma coisa que gostei muito nela foram seus valores eticos e morais, coisa que esta em falta ultimamente. Arthur apesar de ele não ter me arrebatado, é um bom protagonista. Um homem honrado que formou um casal perfeito com a nossa protagonista. E outro personagem que gostei muito foi Nell. Sempre que tem criança nessas histórias elas roubam a cena e aqui não foi diferente. Como disse acima, quero ler os outros livros da série, até porque algumas coisas ficaram sem explicação e acredito que elas estarão nos outros volumes. E pelo conjunto da obra, eu indico para quem gosta do gênero.

Nota:





17 maio 2018

Literary Box Vitrine 42 - Março

Não sei se todo mundo lembra, mas amei a primeira caixinha que comprei da Vitrine 42. Foi com o tema Orgulho e Preconceito e quem ainda não viu e quiser conferir é só clicar aqui. Veio uma caixa super recheada apesar de eu ter comprado a mais barata. Mas ganhei brinde extra por ser a primeira caixa e também veio brinde extra porque fui uma das cinquenta primeiras a comprar a caixa do mês.

Já em Março só consegui comprar no fim do mês e não ganhei os brindes extras, mas mesmo assim, ainda amei a caixa e valeu muita pena. Eu escolhi o tema Lançamento Surpresa e fiquei na maior ansiedade para saber o que seria e gostei muito quando chegou.


O tema foi A Gaiola Dourada e veio esse copo lindo que já estou usando e essa bolsa para livros com bolso externo do tema.


Veio esses marcadores lindos e essa carta colecionável de Frases Épicas que esse mês foi de O Pequeno Príncipe.


Veio o livro A Gaiola Dourada, esse marcador lindo de tecido, um boton e esse chaveiro com a gaiola que amei.


O que acharam da caixinha de março? Comprei a de Abril com tema surpresa novamente e espero amar também.




14 maio 2018

Resenha | Um Vento à Porta - Madeleine L'Engle


Livro: Um Vento à Porta
Série: Uma Dobra No Tempo #2
#1 - Uma Dobra no Tempo
Gênero: Fantasia, Ficção Cinetífica
Autora: Madeleine L'Engle
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 224
Ano: 2018

Resenha:
Estamos de volta à casa da família Murry. Já se passou um ano desde os acontecimentos de Uma Dobra No Tempo e agora Charles Wallace tem seis anos e acabou de entrar na escola. Já no livro anterior sua família, principalmente sua irmã Meg, previa as dificuldades que seria quando Charles começasse a frequentar a escola e tivesse mais contato com crianças da sua idade. Charles tem uma inteligencia bem acima da média, mas por outro lado ele tem algumas dificuldades, como falar com pessoas fora de seu circulo familiar por exemplo. Não que ele não consiga falar, é exatamente o contrário, ele fala sobre assuntos que ninguém mais de sua idade tem interesse. Charles começou a falar com quase quatro anos, e quando falou, diferente dos bebês, já começou com frases inteiras.

E não é só no QI que Charles é diferente dos outros, ele é muito perceptivo e sabe ler as pessoas como se estivesse ouvindo seus pensamentos. E por esse jeito diferente dele, as crianças começam a pegar no seu pé. Cada dia ele chega em casa mais machucado e Meg resolve conversar com o diretor da escola que diz que quem tem que se preocupar com isso são seus pais e não ela. Mas seu pai está viajando a trabalho e sua mãe está envolvida com um novo projeto que depois Meg descobre estar relacionado a saúde de Charles. E Meg só percebe que Charles está doente quando ele diz que viu dragões na horta dos gêmeos. Quando Charles leva Meg até o local, que não tem nenhum dragão por sinal, Charles chega lá sem folego. E Meg repara que ele está muito pálido e Charles diz que o problema são suas mitocôndrias.

Meg fica muito preocupada, mas sua mãe diz que esta pesquisando e por enquanto não há o que fazer. Mas Meg não consegue ficar parada e assim que anoitece vai até o local onde Charles diz ter visto os dragões e acaba encontrando Calvin que veio pedir desculpas pois seu irmão foi um dos que agrediu Charles. E eles encontram os dragões que na verdade é Proginoskes, um querubim feito de asas, vento e chamas. E junto do querubim um estranho que se apresenta como o Professor, que diz estar ali porque precisa da ajuda deles. Eles vão passar por três testes, e os testes tem a ver com o trabalho do seu pai, por causa das estrelas que estão desaparecendo, e também com a doença de Charles. Mais uma vez os três vão embarcar em uma aventura, dessa vez para salvar a vida de Charles e de quebra salvar novamente o universo. 

— Talvez estejamos mesmo sonhando — disse Calvin pensativo.
— O que é real? — perguntou de novo o Professor.

Mais uma vez mergulhei na mistura do mundo científico e fantástico criado pela autora há mais de cinquenta anos, mas que contêm críticas sociais que ainda vale para os dias de hoje. Apesar de ter os mesmo personagens nos cinco livros, segundo a própria autora, não é uma série, porque, apesar dos personagens irem envelhecendo de um livro para o outro, eles não são continuações. As histórias tem começo, meio e fim e podem serem lidas fora de ordem porque não vai pegar nenhum spoiler de um livro para o outro. E mais uma vez temos que usar bastante a imaginação para conseguir visualizar os ambientes e tudo o mais que a autora inseriu na história, porque são coisas e palavras que a gente nunca ouviu e expressões que nunca vi em lugar nenhum.

Nesse segundo livro achei que a história foi bem mais para o lado da ficção científica do que da fantasia, mesmo nesse tendo a figura de um querubim e de anjos caídos, que aqui são chamados de Ectroi. Porque fora isso os termos usados foram bem científicos e, para quem gosta do gênero é um prato cheio. Por outro lado quem não gosta vai ficar um pouco perdido na história e pode acabar achando ela um pouco chata. Eu particularmente gostei mais do primeiro livro, mas esse me agradou também. Só que me irritei em algumas horas com a personagem principal, a Meg. Achei ela muito teimosa e birrenta em algumas situações. Mas isso pode ser por causa de uma outra coisa que quero ressaltar aqui, o descaso dos pais com as crianças. 

Elas são criadas praticamente sozinhas já que o pai só vive viajando a trabalho e a mãe fica dia e noite enfiada no seu laboratório e nenhum dos dois estão nem aí para o que acontece com os filhos. Como que uma criança de seis anos chega todo dia da escola machucada e quem tem que resolver o assunto é a irmã mais velha? Espero que nos próximos livros eles mudem essa atitude. Quanto aos personagens, a Meg foi a que mais apareceu e senti falta principalmente do Calvin. Quanto a edição está tão linda quanto a do primeiro livro. É capa dura, com o título em alto relevo. E por dentro esta impecável. Mais uma vez recomendo para quem gosta do gênero, e espero ansiosa pelos outros livros.

Nota:






Lançamentos de maio da Harlequin

Esqueceu de comprar o presente da sua mãe? Antes tarde do que nunca. Aproveita e dá uma olhada nos lançamentos de maio da Harlequin e corre lá comprar.

Rebelde Escócia, 1745.
Contra o pano de fundo sangrento da Batalha de Culloden, outra guerra era travada e vencida, ao custo da honra e do amor.
O ódio que a bela escocesa Serena MacGregor sente por todos os ingleses começou logo na infância, quando ela viu um grupo de homens ingleses atacar sua mãe. O amigo do seu irmão, Brigham Langston, não foi poupado da raiva e do desgosto de Serena, mesmo sendo um suposto aliado dos escoceses.
Brigham eventualmente prova que é digno do respeito da família MacGregor, mas Serena ainda reluta em abandonar seu ódio por ele e sua ascendência. Mas Brigham tem outros planos. Serena o cativou com sua beleza, paixão pela vida e comprometimento com suas crenças, e ele se recusa a deixar a postura antagonística atrapalhar seus planos de ganhar seu coração. Serena deve aprender a abrir sua mente assim como Brigham abre seu coração para ver que o amor verdadeiro a aguarda.
Um mundo novoUm mundo novo segue os MacGregor durante a Guerra de Independência Americana. Ferido, o soldado reserva Ian MacGregor foge pelas terras selvagens do novo continente, onde ele encontra refúgio de corpo e alma com a espirituosa irlandesa Alanna Flynn.

Pertinácia Mais um brinde exclusivo ❤
Autor: Sue Hecker
A vida de Rafaela nunca foi fácil. Da infância passada em um orfanato à mudança para São Paulo, ela sempre teve que superar diversos obstáculos que surgiam em seu caminho. Quando tudo parecia entrar nos trilhos e a jovem enfermeira pensava ter encontrado o amor, um erro lhe tirou tudo, e ela não sabe como recomeçar. É exatamente em seu momento mais frágil que Rafaela conhece Jonas, um advogado confiante, sexy e vaidoso, que parece determinado a seduzi-la.
Mas, depois de uma grande desilusão, Rafaela não quer ceder à atração que sente por Jonas e correr o risco de se machucar de novo. Será que essa jovem inocente e pertinaz conseguirá resistir aos encantos de um homem experiente? Pertinácia é uma história sobre conquista: de confiança, de objetivos e, especialmente, de amor.





11 maio 2018

Resenha | A Escola do Bem e do Mal - Soman Chainani


Livro: A Escola do Bem e do Mal
Série: A Escola do Bem e do Mal #1
Gênero: Fantasia
Autor: Soman Chainani
Editora: Gutenberg
Páginas: 352
Ano: 2015

Resenha:
Há mais de dois séculos no povoado de Gavaldon, a cada quatro anos dois adolescentes são levados de suas casas e não importa o que seus pais façam para protegê-los, eles desaparecem sem deixar vestígios. Segundo uma lenda antiga, os adolescentes são levados por uma sombra que eles acham ser o Diretor da Escola do Bem e do Mal onde os que são levados estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias. Um adolescente vai ser um herói e o outro será um vilão. Mas a maioria das pessoas não acreditam nessa lenda. No começo eles achavam que era culpa dos ursos, depois dos buracos negros. Mas quando o rosto dos adolescentes que sumiam começaram a aparecer em livros de contos de fadas que eram deixados em frente a livraria do povoado, a maioria das pessoas começou a acreditar na lenda.

O pai de Sophie é um que não acredita nessas bobagens, mas como o povo está dizendo que Sophie pode ser levada esse ano, ele resolve que é melhor prevenir do que remediar e prega tabuas em todas as janelas e portas de sua casa. Sophie desde sempre se prepara para ser levada. Ela linda com seus olhos verdes e seus longos cabelos loiros, e tem certeza de que é perfeita para ser uma princesa e viver uma linda história de amor. Ela até sonha com isso, com o dia em que vai encontrar seu príncipe encantado. Por isso diariamente ela faz seu ritual de beleza que dura em média duas horas por dia, afinal uma princesa tem que ter a pele perfeita, e depois passeia pelo povoado com seus vestidos cor-de-rosa e seus sapatos de cristal. Já sua amiga Agatha não acredita nem um pouco nesse monte de baboseira de escola e contos de fadas. 

Sophie se tornou amiga de Agatha para fazer uma boa ação, porque Agatha é bem esquisita, ela mora em um cemitério e só se veste de preto, por isso ela não tem amigas e para Sophie ser amiga de Agatha, é uma atitude de uma princesa. Na noite tão esperada, Sophie arruma suas malas e se prepara para ser levada. Mas Agatha gosta de verdade de Sophie e vai fazer o que estiver ao seu alcance para impedir isso. Então quando Agatha vê uma sombra indo em direção a casa de Sophie e pegando a mesma, Agatha agarra Sophie e acaba sendo levada junto para dentro da floresta que rodeia Gavaldon. Sophie é só sorrisos até que o inesperado acontece. Elas avistam dois castelos imensos em plena floresta e Agatha constata que estava errada e que a escola é real. Mas as coisas não acontecem como Sophie esperava porque Agatha é deixada nas Torres do Bem, e ela que sempre sonhou em ser uma princesa, é jogada nas Torres do Mal.

"Na Floresta Primitiva
Há duas torres erguidas
Na Escola do Bem e do Mal,
A Pureza e a Malícia.
Não tem como escapar
Se um Conto de Fadas
Não vivenciar."

A primeira coisa que me chamou a atenção nesse livro foi essa capa linda, que por sinal é da segunda edição, já que na primeira capa lançada pela editora não tinha as meninas atrás dos pássaros. Depois o que me atraiu foi saber que é um livro onde vamos encontrar uma história que tem tudo a ver com os famosos contos de fadas que quase todo mundo cresceu lendo ou assistindo. E não é apenas um conto de fadas, mas uma escola onde eles vão aprender a serem os mocinhos e vilões desses contos. E é claro que eu já quis ler. Mas apesar de tudo comecei a ler meio sem nenhuma expectativa, porque achei que a história era mais voltada para um publico mais jovem, e acabei me surpreendendo com a história criada pelo autor e principalmente em como a história cresceu e evoluiu ao longo do livro.

A narração é em terceira pessoa e acompanha as duas protagonistas em suas respectivas escolas. Sophie e Agatha são completamente diferentes tanto na aparência como na personalidade. Logo no começo do livro vemos que o diretor da escola não errou e elas estão exatamente onde deveriam estar porque Sophie apesar de ter a aparência de uma princesa, é egoísta, fútil e se acha melhor que todo mundo. Mas o engraçado é que ela acha que ela está certa em fazer o que faz e justifica todas as suas ações como se fossem coisas boas feitas para os outros. Já a Agatha é uma menina que apesar de ser descrita como uma bruxa e ser rejeitada por todos, é meiga, altruísta e muito inteligente. E exatamente por isso começamos a história odiando Sophie e torcendo para ela se dar mal e gostando muito de Agatha e acreditando que ela vai fazer a diferença na história.


Mas ao longo da história temos uma mudança significativa nas personagens. Enquanto Sophie cresce como personagem, a Agatha se apaga. A Sophie foi num crescente que no final eu fiquei até besta de como ela evoluiu. Mas nem por isso deixei de odiar a Sophie cada vez que ela aparecia. Meu Deus que garota egocêntrica. Queria que ela desse muito mal. E a Agatha era uma boba que ficava passando a mão na cabeça dela e perdoando tudo o que ela fazia e dando outra e outra chance só para Sophie estragar tudo de novo. Mas é isso que as pessoas boas fazem hehe. Gostei de vários outros personagens também, como as colegas de quarto da Sophie que se destacaram bastante. Já o "príncipe" da história, o Tedros, achei ele meio bundão na verdade. Mas gostei dele mais para o final.

E que final. Nunca que esperava algo do tipo. E mesmo sendo o primeiro livro de uma trilogia, o final foi bem fechado e se o autor quisesse terminar por aqui, o recado estava dado. E fora os personagens incríveis, temos uma ambientação de tirar o fôlego. Se você é fã de contos de fadas e livros de fantasia vai amar o cenário criado pelo autor. Ele é bem descritivo em algumas partes, mas ainda assim ficou bastante para a imaginação e fiquei pensando como seria um filme naqueles cenários. E antes de terminar só quero falar sobre um assunto que não vi muitas pessoas falando sobre. É uma dúvida da minha parte na verdade e se você já leu o livro, deixe nos comentários o que você achou sobre isso. É que fiquei em dúvida se a relação das meninas foi somente de amizade ou se teve algo mais. Por vezes me pareceu que sim. Enfim, leiam, é uma história incrível.

Nota:






09 maio 2018

Lançamentos de maio da Harpercollins

Já fez sua listinha de compras de livros do mês de maio? Venha conferir os lançamentos da HarperCollins e acrescentar mais alguns à sua lista.


“O que te fez sorrir hoje? Em quem você mais confia nesse mundo? Que livro você não conseguiu parar de ler? A estrela teen Larissa Manoela responde essas perguntas e muitas mais nesse livro interativo que nenhum fã pode deixar de ter! São 100 questões sobre amizades, família, vida amorosa, sonhos, curiosidades e um monte de outras coisas que fazem parte do universo de todo adolescente. Em cada página, além da pergunta e da resposta da Larissa, você vai encontrar espaço para escrever suas próprias respostas e para os comentários dos seus amigos. Será que seu maior sonho é igual ao da sua atriz preferida? Será que você e suas amigas têm os mesmos medos? Esse é o livro perfeito para passar por toda a turma e se divertir junto das pessoas que você mais ama, compartilhando pensamentos e segredos. Você não pode ficar fora dessa!”

Procurando Gobi é o relato milagroso de Dion Leonard, um ultramaratonista que atravessa longos percursos com um cachorrinho vira-lata enquanto compete em uma corrida de 155 milhas através do deserto de Gobi na China. O adorável cãozinho, que mais tarde ganharia o nome de Gobi, provou que o que ele não tinha em tamanho, tinha de coração, enquanto seguia Dion, acompanhando-o por 77 milhas.
Vendo a incrível determinação do animal, o objetivo principal de Dion já não era mais ganhar a corrida, mas, sim, garantir que sua amizade com Gobi continuasse forte bem após a linha de chegada. Embora não tivesse cruzado a linha de chegada em primeiro, Dion sentiu que ganhara algo ainda maior - uma nova visão da vida e um novo amigo que ele planejava trazer para casa assim que possível. No entanto, antes que isso pudesse acontecer, Gobi desapareceu na grande cidade chinesa. Dion, com a ajuda de estranhos e da internet, começou a rastreá-la e se reuniu para sempre com o incrível animal que mudou sua vida e provou a ele e ao mundo que os milagres são possíveis.

Nunca antes na história foi possível nos conectar uns com os outros com tanta prontidão; contudo, jamais foi tão fácil nos perder de nós mesmos. Estamos sempre ocupados demais. Nutrimos expectativas irreais para nossa vida e acreditamos que sempre há alguma condição ainda não alcançada para a felicidade. De repente, um vazio; sentimos como se algo muito importante faltasse e ansiamos desesperadamente por uma mudança radical em nossa vida. Em tempos de constante ruído e distração, simplesmente parar e ficar em silêncio é um ato revolucionário. Você deixa de lado a desunião consigo mesmo, esse não ser quem é, e reencontra as maravilhas do viver.
Em Silêncio — O poder da quietude em um mundo barulhento, o respeitado professor e monge zen-budista Thich Nhat Hanh nos surpreende mais uma vez com suas inestimáveis lições repletas de valiosa sabedoria. Manter a calma interior mesmo nas situações mais caóticas e viver uma vida satisfatória com a prática de mindfulness não requer longas horas de meditação. A proposta é simples: pare e dê a si mesmo o presente de viver verdadeiramente, no aqui e no agora. Ser feliz é um direito seu. Para exercê-lo, basta querer.”

“O perfeito encontro entre duas grandes mentes. A primeira, Sun Tzu, o general chinês cujas lições sobre estratégia orientou militares, executivos e líderes através dos séculos. A segunda, Jessica Hagy, uma pensadora visual cujos diagramas e gráficos fáceis de entender oferecem uma nova maneira de encarar os desafios e as oportunidades da vida.
A arte da guerra — edição visual dá vida a um texto clássico, tornando-o acessível a uma nova geração de estudantes, professores, empreendedores, executivos, artistas, curiosos e apreciadores da teoria dos jogos.
As mais de 200 ilustrações são incrivelmente dinâmicas, muitas vezes engraçadas e sempre provocantes. Não se trata apenas de embelezar uma obra-prima, mas reimaginá-la à luz da Era da Informação.”

João Barone, baterista do grupo Paralamas do Sucesso e aficionado por assuntos da Segunda Guerra Mundial, revela e analisa a participação do Brasil no conflito que sangrou o mundo. Filho de um dos mais de 25 mil pracinhas que lutaram na Itália, Barone dirige sua pesquisa pelo passado do pai e do país para unir dados, curiosidades e histórias emocionantes de uma campanha incrível que muitas vezes o próprio brasileiro desconhece. Nesta nova edição, Barone apresenta textos e fotos extras que ampliam a cobertura sobre a FEB e aumentam a compreensão do leitor sobre a participação do Brasil em um dos maiores acontecimentos mundiais.

Há décadas o renomado astrofísico Neil deGrasse Tyson vem explicando a ciência com uma combinação de poder mental e charme que tem impressionado fãs ao redor do mundo. Neste livro pioneiro e provocativo vemos o melhor de StarTalk, seu adorado podcast e programa de televisão que se dedica a resolver os mistérios mais confusos da Terra, do espaço e do que significa ser humano. Repleto de observações brilhantes, fotografias vívidas e citações inesquecíveis de Tyson e seu esplêndido grupo de eruditos da ciência e do entretenimento, StarTalk ajudará a responder todas as suas questões mais angustiantes sobre nosso mundo — de como o cérebro funciona até a física presente nos quadrinhos de super-heróis. Divertido, inteligente e hilariante, este livro é o guia perfeito para tudo o que você sempre quis saber sobre o universo — e além.”

Um unicórnio, um menino e o vento, juntos em uma só velocidade! Quando Charles Wallace Murry, agora com quinze anos, grita em desespero a invocação de uma antiga runa para afastar a escuridão, uma criatura radiante aparece. É Gaudior, unicórnio e viajante do tempo. Charles Wallace e Gaudior devem viajar até o passado através dos ventos do tempo e tentar encontrar um Pode-Ter-Sido, um momento do passado em que todos os eventos que se seguiram até o presente podem ser mudados, e o futuro da Terra – esse pequeno planeta em seu giro veloz – pode ser salvo.









© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo